loader image

Orgulho de ser italiano

A LIRAX nasceu no coração da Europa como um projeto 100% italiano. Graças ao Blockchain, conseguimos criá-lo com os exemplares mais inteligentes e engajados do nosso povo.

Identidade, Certificação e Rastreabilidade a serviço dos cidadãos.

ITALIANO

uma palavra, um mundo!

Hoje em dia, ser italiano pode parecer complicado, mas, no final das contas, todos somos assim – simples e complexos, únicos e excepcionais.

Pedimos que reserve alguns minutos do seu tempo para o conteúdo abaixo, e pense sobre a beleza que o(a) cerca, o que nós criamos e compartilhamos ao longo dos séculos… e o que nós fazemos todos os dias.

Pense nos artistas, nas possibilidades que desejam descobrir ao redor do mundo com sua determinação e paciência. Pense um pouco sobre quantas receitas regionais você conhece, ou quantos tipos de pães você poderia pôr à mesa, ou ainda, pense sobre o nosso estilo de vida tão único e maravilhoso.

Tenho orgulho de ser italiano!
E todos deveriam ter.

O nosso povo possui origens antigas e nossa história marcou a evolução de toda a humanidade… a Itália é um dos mais belos locais do mundo em termos de paisagens, arte e tradições. Certamente, a Itália é um dos lugares mais abundantes em cultura e estilo de vida do planeta.

Os motivos que me fazem sentir orgulho são muitos, e listarei aqui apenas alguns…

Alessandro Civati – Fundador do Projeto Lirax

A SIMPLICIDADE – As pessoas dizem que os italianos reclamam demais. Talvez seja verdade, mas ao mesmo tempo, conseguimos nos contentar com pouco e ver a beleza nos pequenos gestos. Para nós, comer bem e admirar uma bela vista é o suficiente – e ambos são bastante fáceis de encontrar por aqui;

AS MONTANHAS. Os Alpes atraem esquiadores de todo o mundo e nos fascinam com suas paisagens e alturas;

O MAR. O mar faz parte de nós. Observe a costa de uma de nossas ilhas: sejam elas irmãs mais velhas, como a Sicília e Sardenha, ou as menores, como Elba, Ponza e as Ilhas Eólias. Terras originárias sempre nos nossos corações para serem observadas da terra à distância…

ATELIERS E ARTESANATOS: A Itália é rica em serviços de habilidade manual transmitidos de pais para filhos, e que agora buscam herdeiros. Em Torre del Greco, por exemplo, há a antiga tradição de esculpir conchas, que dão origem a camafeus para colares, braceletes e brincos. Em Cremona, há uma escola de prestígio para luthiers, que atrai aprendizes italianos e estrangeiros que desejam aprender como fazer violinos únicos;

ARQUEOLOGIA: é possível ver ruínas romanas em quase todo lugar – um snal da glória que tenta reemergir em cada canto do país;

ARQUITETURA: De Leon Battista Alberti a Bramante e Renzo Piano, a Itália (e o mundo) contam com riquezas dos trabalhos de grandes visionários que sabem encontrar a harmonia entre homem e paisagem;

OS JARDINS. Arbustos podados em formato de esculturas, espelhos d’água e arquitetura vegetal: um estilo harmonioso e geométrico originado na Renascença que continua a nos encantar e conquistou o mundo todo;

OS DIALETOS: A expressão da alma de um território, os dialetos são uma herança de idiomas e termos que representam um universo… Na Itália, nós temos milhares de palavras belas e únicas;

OS ESPETÁCULOS. As Bienais ou festivais de Veneza, Spoleto, Taormina, Roma e Mantua. Entre os aplausos e as críticas, os eventos culturais Italianos continuam a fascinar seus participantes e o público, com a ajuda nas nossas paisagens únicas;

OS FIGURINOS. O grande cinema veste a moda italiana. Milena Canonero foi premiada com quatro estatuetas por “Barry Lyndon”, “Momentos de Glória”, “Maria Antonieta” e “Grande Hotel Budapeste”. Gabriella Pescucci, por sua vez, ganhou o Oscar com “A Idade da Inocência”de Scorsese…;

TEATRO E ÓPERA. Dos grandes trabalhos aos roteiristas e experimentos contemporâneos: uma tradição que continua a fascinar o público ao oferecer experiências inigualáveis;

O CINEMA. Belas histórias de hoje e ontem. Roteiristas, diretores, atores e diretores de fotografia capturam os olhos e a alma dos personagens;

O CAFÉ. Nós lembramos quando estamos longe de casa: sabemos como nos sentir amados e bem-vindos, ao ponto de oferecermos um espresso para um completo estranho;

MODA. Admirada, sonhada, odiada, esnobada, super ou pouco estimada: qualquer que seja a sua opinião sobre ela, a moda reflete os nossos tempos e a Itália não teme comparações;

CERÂMICAS. Uma forma de arte injustamente considerada como menos importante, mas que fascina artistas, estilistas e grandes clientes. Nenhum país oferece um leque de escolhas tão amplo quanto o nosso;

AS CANÇÕES. DeAndré, DeGregori, Tenco, Dalla, Lauzi, Branduardi, Paoli: poesia através da música

MOTORES. Das motocicletas aos carros, dos designers aos pilotos;

O DESIGN. A luminária na sua mesa, a cadeira na qual você senta, os copos nos quais você bebe: tudo é produto do design, e, certamente, os designs mais belos que você já viu são originários da Itália;

AS CÚPULAS. Toda cidade tem uma, cada uma mais bela que a outra. O termo deriva do latim domus, que significa “casa”;

O “GELATO”. Tão bom que foi exportado para todo o mundo. E não o chame de sorvete !!!

AS MASSAS. Mesmo quando não sabemos cozinhar, somos capazes de preparar um prato de massa capaz de fazer com que alguém se sinta o convidado de honra. E realmente, a maneira como comemos na Itália, não comemos em nenhum outro lugar do mundo;

PIZZA. Sem comentários;

ESPORTES. Futebol, natação, mergulho, esgrima, ciclismo, ginástica artística: podemos ser apenas uma pequena península, mas temos atletas capazes de competir e vencer os grandes nomes ddo planeta;

MARCELLO MASTROIANNI. Sempre incomparável;

ELENA FERRANTE. Essa autora, cuja identidade ninguém sabe, conquistou o público internacional, chegando até entre os finalistas do Man Booker International Prize, um prêmio britânico que seleciona os melhores livros traduzidos para o inglês;

GIORGIO MORODER. Ele ganhou três Oscars, colaborou com Donna Summer, Bowie, Brian Eno, fez o público dançar dos anos sessenta até hoje e criou trilhas sonoras de filmes como “Fuga à Meia-Noite”, ” Gigolô Americano”, “Flashdance”, “Scarface”, “A História sem Fim “;

ENNIO MORRICONE. Premiado na última cerimônia do Oscar, onde recebeu seu segundo Oscar, ele disse que “não há música importante sem um ótimo filme que a inspira”. Os melhores são sempre os mais humildes;

ITALO CALVINO. “O visconde dividido ao meio”, “O barão desenfreado”, “As cidades invisíveis”, “Os cosmicômicos” … belos livros que encantam a todas as idades e que são traduzidos em todo o mundo;

…e, além disso, nós somos IRÔNICOS. Somos críticos em relação a nós mesmos, sabemos como rir e nunca nos levamos muito a sério.

E, assim, tenho orgulho de ser italiano pelo que nossos avôs e as pessoas que lutaram pela nossa liberdade deixaram para nós. Nossa Constituição é única e incorpora a alma do nosso país.

Vida longa à Itália!

Fechar Menu